Resenha: Sway - Kat Spears


Agora são exatamente três horas da manhã e eu deveria estar indo dormir, mas nada metal pregar os olhos. Nenhuma conversa é interessante o suficiente para me manter atenta por muito tempo. Com isso resolvi escrever sobre esse livro que me fisgou de uma maneira enlouquecedora. Sway foi pra mim como um primeiro beijo: inesquecível. E, não venham me dizer que o primeiro beijo de vocês não foi, porque por pior que ele tenha sido, pro pior que a pessoa tenha te tratado depois, a sensação de dormência, a falta de ar, a palpitação, ela sempre fica. Sempre. E a gente vai tentar repetir essas sensações diversas vezes na vida posteriormente e nunca será a mesma coisa. Chega um ponto que até fica chato, porque nada se iguala aquilo. 

Sway é o livro escolhido para o Desafio Literário do Mês de Julho, ele representa o mês da amizade, porque, quando eu comprei ele achei que se tratava de uma história de amor, mas no fim ele fala sobre amizade, companheirismo, lealdade e sobre fazer de tudo para cuidar dos amigos.

Informações:

Sway - Kat Spears


Ano: 2016
Páginas: 256
Editora: Globo Alt
Avaliação: ★★★★★
Sinopse Skoob: Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar trabalhos escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola, arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou ilegais... É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de futebol da escola, pede a ele um trabalho controverso: Ken quer que Bridget Smalley saia com ele. Com seu humor ácido e seu jeito politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em toda a sua vida.
Resenha: 

Jesse é o típico cara que consegue tudo para todos que o pagarem bem. E ele não tem problemas nisso, esse é exatamente o problema: ele não liga, só se acostumou. Acho que ele entrou num piloto automático e quando se deu conta que era bom naquilo foi cada vez mais fundo até não poder mais sair. Mas é aí que tudo muda. Quando o bar boy master que se faz de bonzinho, contrata ele pra conseguir a garota mais gente boa e doce da escola, e Jesse/Sway se apaixona por ela, é quando começa seu dilema. 

Ele e Bridget ficam amigos, Jesse acaba descobrindo toda a vida dela, fica amigo do irmão com deficiência, dos outros amigos dela e de um senhor em uma casa para idosos que não tinha nada a ver com a história. Eu escolhi esse livro pro desafio literário justamente por falar do valor das amizades. Jesse tem uma amiga, Joey que passa por umas barras bem pesadas durante a trama, e ele faz o que está além do seu alcance para mantê-la segura. 

Ele é o tipo de cara que toda garota do ensino médio se apaixonaria sem nem ao menos conhecer, se conhecesse haveria uma chance de se afastar, mas haveria aquela pequena porcentagem que iria querer saber até onde o seu lado ruim seria capaz de ir. Como todo romance adolescente clichê, ele é salvo pela garota, ela acaba o “mudando”, mas acho que ela mais “mostra a luz no fim do túnel” pra ele, do que realmente o muda. 

Jesse é um cara inteligentemente medida, interessante, gosta de musicas antigas e caros igualmente particulares. Embora estrague consideravelmente o fato de ele ser/trabalhar para traficantes de drogas bem pesadinhas e conseguir umas paradas bem punks. Mas, afinal, eu sempre tive uma queda por caras do tipo bad boy “na dele” como Sway

Nesse livro tem cada roubada que eu me pergunto, onde estão os pais desse adolescentes americanos de romances adolescentes? Porque, com dezesseis anos eu mal saia de casa sem minha mãe saber onde eu ia e com quem. E nos livros eles fazem a festa, viajam, conseguem carteiras de identidade falsas, drogas, bebidas, altos rolês perigosos e nada, absolutamente nada acontece. 
No mais, Sway é viciante como cada tragada de um cigarro qualquer. Doce e amargo, que provavelmente vai te matar psicologicamente, mas te mantém loucamente excitada e pedindo mais.
Desafio Literário faz parte do Café com Blog e o Interative-se!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.