Resenha: Série Wherlocke - Livros 1, 2, 3, e 4 - Hannah Howell


Conforme o desafio literário do Interative-se (aqui) eu teria que ler em janeiro o livro O Escolhido, porém, esse livro faz parte de uma série, então pensei: por que não resenhar todos? E foi por isso que eu estou escrevendo agora!
Eu li os três primeiros livros em 2013-2014 eu acho, depois de um tempo é que eu soube que havia um quarto livro, então mexi meus pauzinhos e comprei. Só que até então eu não havia lido ele, e como eu acho que 2017 é um ano de "permita-se" decidi por livros mais difíceis na lista!
Uma pequena observação, ao todo são 7 livros contando as histórias de amor da família Wherlocke, mas somente 4 foram publicados no brasil! 

A Vidente 
(Skoob)
Ano: 2012
Páginas: 224
Editora: Lua de Papel
Avaliação:★★★ Bom (+18) 
Sinopse do Skoob: Estamos no século XVIII, na Inglaterra georgiana. Como todas as gerações de sua família, Chloe Wherlocke possui habilidades especiais, e o seu dom é enxergar além da visão física.
Em 1785 ela prevê a morte de uma mulher que acabara de dar à luz e toda uma trama para atender a motivos escusos. Ao encontrar uma criança abandonada ao lado do corpo da mãe, ela salva o bebê e o cria escondido do mundo. Fazia isso por amor, mas talvez houvesse neste gesto alguma força do destino...
Com o passar dos anos, Chloe descobre que o encontro com a criança não havia sido uma simples coincidência e nota, pouco a pouco, um desenrolar de acontecimentos que envolviam todos os membros de sua família, num jogo de traições, mentiras e assassinatos.
Consciente de tudo, ela precisa ser rápida para salvar a vida do pai do menino, o conde Julian Kenwood, e avisá-lo que o filho não morreu. Mas, ao se aproximar da família Kenwood, Chloe percebe seu sentimento de proteção por Julian se transformar enquanto a cada momento tudo fica mais perigoso.
Resenha:

Chloe é uma vidente, ela viu sua irmã morrer ao dar a luz ao filho também morto, esse filho que será trocado pelo bebê saudável de Lady Kenwood, uma mulher má, amarga, vingativa que quer matar o marido para ficar com a herança. O tal marido, Conde Julian Kenwood é um homem frustrado pelo casamento repleto de mentiras e traições, que se entregou a tristeza bebendo e gastando seu dinheiro com prostitutas. Mas, com a ajuda de seu primo Leopold, que também tem um dom, Chloe salva Anthony e seu pai, Julian.

A Vidente tem uma trama repleta de estratégias de fuga, assassinato, mentiras e de sedução. Essa seria só mais uma história mística sobre uma pobre moça do interior que foge com o filho supostamente morto de um Conde para a grande Londres e o cria, se não fosse pelo toque picante e sensual que Hannah Howell nos traz. Julian e Chloe se apaixonam intensamente enquanto mantém uma relação de paciente e cuidadora. As cenas de sexo são envolventes, apaixonadas e sutis, não faz com que o leitor se sinta em um filme pornô.

E, embora haja todo esse enredo pesado, como alguns diriam, é um livro divertido, principalmente quando o pequeno Anthony entra e arranca gargalhadas de todos dizendo que "seu cabelo é bonito, porque a Chloe disse", ele tem lindos cabelos encaracolados e loiros, como o pai, com seus três/quatro anos.

E ainda, o casal Chloe e Julian se casam, nossa heroína está grávida e tremendamente feliz em poder cuidar e manter por perto seu tão amado Anthony do qual ela era guardiã desde que ele tinha poucos dia de vida.

A Sensitiva
(Skoob)
Ano: 2012
Páginas: 224
Editora: Lua de Papel
Avaliação:★★★ Bom (+18)
Sinopse Skoob: Segredos e intrigas como o estopim de paixões perigosas.
Por toda a Londres do século XVIII, é possível ouvir sussurros e boatos sobre os dons inexplicáveis da família Wherlocke. Mas o Lorde Ashton, um homem com firmes convicções, é uma das vozes mais céticas de seu tempo, e tudo caminhava para continuar assim... até encontrar uma bela mulher desacordada, largada no quarto de um bordel.
A mulher misteriosa é Penélope Wherlocke, e seu dom especial a levou para um mundo perigoso de alta sociedade, quando foi sequestrada e vendida a uma cafetina criminosa. Ao vê-la, Ashton ficou enfeitiçado. Algo lhe diz que deveria esquecê-la, mas é atraído cada vez mais para a vida dela, transformando-se em seu protetor. Porém, Penélope é uma mulher com ideias próprias, algo que sempre a afastou dos homens de sua época, mas enfim encontra alguém seguro e capaz de lidar com suas habilidades sobrenaturais.
Resenha:

Penélope é a típica Cinderela, sua mãe se casa novamente após a morte do marido, que tinha tido filhos fora do casamento, com essa mágoa a mulher casa-se novamente e passa todos seus bens para o comando do novo marido, o que ela não sabia era que os dois morreriam deixando a pobre Penélope nas mãos dos "meio irmãos" no papel Charles e Clarissa, dois venenos em pessoa. Por causa deles a jovem é vendida a um bordel onde encontra Ashton, que de inicio não acredita que uma meretriz possa ser tão educada, bonita e aparentemente intocável. Depois de uma conversa e a quase perca da virgindade, Penélope consegue se libertar com a ajuda do moço em questão e os irmãos. Nesse breve momento em que os dois estiveram juntos, seminus e sem os títulos em questão, pois nenhum sabe quem o outro é, é quando começa uma paixão.

Só que o problema dessa paixão é que Ashton está falido, seu pai gastou tudo com a libertinagem e agora ele procura um casamento por conveniência, que de fato não teria se se entregasse a paixão que tem por Penélope, só que mal sabe ele que a fortuna que Clarissa ostenta na verdade é de Penélope. Tudo isso seria uma típica trama de intrigas familiares se não fosse pelo bônus de nossa protagonista ver fantasmas, ver, falar e também resolver suas pendências, libertando-os. De início o ovem Ashton não acredita na moça, mas sua veracidade e paixão pelo que foi incumbida de fazer por causa do seu dom "divino".

Nessas idas e vindas Penélope se refugia na Toca Wherlocke, um imóvel meio caindo aos pedaços que ela chama de lar para as crianças rejeitadas por pais e mães que não compartilham do dom da família, todos se tornam uma grande e unida fraternidade, quase um bando, cada um com sua peculiaridade. No final, além de Sir Argus Wherlocke aparecer e descobrir que tanto a prima quanto os filhos estão sendo usurpados do dinheiro que todos os pais enviavam, que a legítima herdeira estava sendo feita de empregada e maltratada por pessoas que sequer tinham sangue Wherlocke.

Tudo é resolvido, Penélope e Ashton se casam, e vamos dizer que as coisas ficam agradáveis para todos!

A Intuitiva
(Skoob)
Ano: 2012
Páginas: 224
Editora: Lua de Papel
Avaliação:★★★ Bom (+18)
Sinopse Skoob: UMA HISTÓRIA SOBRE COMO O PODER DO DESTINO E DO DESEJO PODE REALIZAR COISAS APARENTEMENTE IMPOSSÍVEIS.
Estamos na Inglaterra, no século XVIII. Assim como a maioria de seus familiares, a bela e jovem Alethea Vaughn Channing possui dons especiais. Desde pequena ela tem visões recorrentes de um homem desconhecido. Passados 15 anos desde a primeira visão, ela prevê um risco iminente de morte. Ela precisa encontrá-lo, contar sobre sua visão e convencê-lo de que corre perigo… Mas quem acreditaria numa estranha com uma conversa dessas? Ainda sob um ceticismo inicial, ele percebe sinceridade na desconhecida e, agindo emocionalmente, decide acreditar na estranha para tentar novamente descobrir o paradeiro de seus dois sobrinhos, que desapareceram após a trágica morte de sua irmã e do esposo. Durante essa busca, começa então a florescer uma forte admiração entre os dois, até surgir a perigosa Claudete, uma antiga amante de Hartley, e que Alethea descobrirá estar entre as pessoas mais ameaçadoras da alta sociedade de Londres. Então, a sua vida também passa a correr perigo e ela precisará mais do que nunca de seus poderes para garantir a sua segurança.
Resenha:

Hartley Greville trabalha para o governo e está investigando duas irmãs francesas, e nesse meio tempo, entre um baile e outro em que ele poderia se infiltrar e descobrir as intrigas e assassinatos acaba esbarrando em Alethea que por sua vez tenta ajudar o estranho que ela conhece tão bem de suas visões. Foram 15 anos tendo visões com o mesmo garoto que aos poucos ia se transformado em homem, ela conhecia cada traço do seu rosto, cada expressão dos seus olhos. Alethea casou-se jovem, porém o casamento não foi consumado, mas ninguém pode saber que seu marido não era dado a essas intimidades. Portanto permaneceu reclusa em sua casa, com seus empregados e alguns parentes, de forma a esconder seus súbitos vislumbres e logo após os desenhos demonstrando as cenas que se passavam em sua cabeça.

Ela prevê a morte de Hartley e faz de tudo para que o homem acredite nela. Também o ajuda a solucionar o caso das duas irmãs, da morte de seus parentes e o desaparecimento dos sobrinhos, desenhando cada passo que eles dão até que conseguem ser resgatados por homens de confiança. Com todo o enredo de perigo e mentiras contadas na alcova Hartley e Alethea se apaixonam, embora a relutância dos dois, cada um com seus motivos, as famílias nada tem a protestar. E, como toda trama envolvendo essa família, tudo acaba em casamento e famílias felizes.

O Escolhido
(Skoob)
Ano: 2012
Páginas: 192
Editora: Lua de papel
Avaliação:★★★★ Muito Bom (+18)
Sinopse Skoob: Um homem nu aparece no roseiral da família de Lorelei Sundun. Ao contrário de gritos ou pedidos de socorro, algo que se esperava da maioria das mulheres de sua época, Lorelei oferece ajuda, pois percebe o embaraço do rapaz, que não sabia onde estava.
Ela nunca ouvira falar da família de Argus Wherlocke, nem sobre os dons paranormais comuns entre os membros desta família. Porém, arrebatada por uma súbita paixão e munida de coragem, ela logo se arrisca para ajudá-lo num jogo perigoso de perseguições.
Argus logo descobre que Lorelei é sua única esperança de salvação, e que seu desejo pode ser a mais importante arma para combater seus inimigos. O escolhido é o quarto livro da saga da família Wherlocke, cujo personagem principal, Argus Wherlocke, tem o dom de hipnotizar as pessoas pelo olhar e pela voz. Argus é da mesma família de Chloe, Penelope e Alethea, personagens apresentadas nos livros A Vidente, A Sensitiva e A Intuitiva.
Resenha:

Argus Wherlocke está preso em um porão imundo, sendo espancado várias vezes por dia e sem comida ou água suficientes para recobrar as forças, tudo isso porque um tal de Cornick pretende aprender sua habilidade de convencer as pessoas com a voz e o olhar, ele não acredita em dom, mas sim em uma habilidade que foi estudada e aprendida, e crê que ficará muito rico com isso e embora Argus aguente, suas forças estão se esgotando, é quando em uma brecha ele envia sua alma para fora do corpo e dá de cara com Lorelei em seu jardim, porém ele está nu, o que não intimida a garota que faz de tudo para contatar os parentes Wherlocke e Vaughn, não parando por aí, ela chama seus primos e descobre onde Argus está e o resgata, tratando de diversas contusões do homem, que aos poucos vai a cativando e a atraindo com sua pele morena e os olhos escuros, entretanto algo curioso acontece, Lorelei não é afetada pelo poder de persuasão de Argus, o que faz com que ela seja cada vez mais interessante para ele.

Quando eles conseguem se deslocar para Sundunmoor, onde reside sua família, Lorelei acaba sendo arrastada para essa trama de perigo e ameaças, sua corre perigo, ela, o pai o Duque, dezessete irmãos, empregados, alguns primos e convidados. Nesse momento chegam parentes, Olympia, Leopold, alguns outros primos e os filhos fugitivos de Argus, Darius e Olwen, ambos com idade entre 12 e 13 anos, o que deixa Lorelei chocada, já que estava tendo claramente um caso com Sir Argus Wherlocke que agora ela descobre ter filhos quase da mesma idade, ou seja, duas amantes quase que ao mesmo tempo sendo ele tão jovem para isso.

Mas, embora todos esses conflitos, outras tentativas de sequestros como o de Olympia e da própria Lorelei, os dois se entregam a uma paixão avassaladora digna de beijos na chuva e rolar na grama como em filmes de Hollywood.

Considerações Finais:

Particularmente, achei os primeiros três livros muito iguais, a pobre mocinha que salva o cara bonitão das garras de uma mulher traiçoeira. De todos os livros, o quarto me fez ficar ansiosa pela próxima página, apesar de eu ter amado a história de Alethea e de Penélope, são mulheres muito intensas, já Chloe foi muito "mãe" o tempo todo e muito prudente, apesar de ter sido a primeira história, acho que faltou algo, uma pitada de alguma coisa que eu não sei.

Vou contar um segredo também, eu passei dois livros em que o Argus era citado lendo o nome dele como ANGUS, e ainda é muito difícil para eu ler correto, apesar de já ter entendido.

No geral são livros bem clichês, com um fundo erótico e a história dos dons, talvez o enredo devesse ser mais trabalhado em outros aspectos além da alta libido da família e a facilidade de as mulheres engravidarem após uma noite de amor ardente. Acho também o máximo que todas elas eram virgens, porém se entregavam ao amor de forma integral, na cama eram desinibidas, aparentando segurança, por mais que por dentro estivessem nervosas. Acho que a autora pecou aí, somente, ao meu ver, qualquer pessoa fica muito nervosa na primeira vez, sem querer generalizar.

No mais, achei A Sensitiva um pouco cansativo no início, foi o livro que eu mais demorei para ler, acho que foi um mês e meio. Gostei muito de ler O Escolhido, de ter conhecido Sir Argus e seu medo de casamentos por causa do fracasso dos de seus pais e tios, o que faz com que os quatro livros mostrem os primeiros casamentos por amor, bem sucedidos e cujos parceiros não temiam os dons sobrenaturais das famílias Wherlocke e Vaughn.

Enfim, é isso, espero não ter cansado ninguém com essa imensa resenha e até a próxima!
Ps: Eu acho as capas lindas !

10 comentários:

  1. Eu li A Vidente! Tenho ele e o amo, acho aquele clichê de sempre de romances água com açúcar, mas é tão gostosinho ler essas coisas... Estou namorando os demais a tempos... Achei eles pouco tempo atrás, mas estava sem grana para comprar (que raiva), quero ler *-* tenho eles em PDF que uma amiga me mandou para ler no Kindle então acho que está na hora de conhecer o restante da família!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os meus eu comprei no avon e o ultimo num sebo, paguei 10 reais nele!

      Excluir
  2. Não conhecia essa série de livros ainda, mas pela premissa e resenha me interessei muito no primeiro e segundo volume. Vou dar uma pesquisadinha aqui...
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São bons mesmo, todos, mas cada um tem seu favorito!

      Excluir
  3. Eita, nunca tinha ouvido falar sobre essa série!
    As capas são lindíssimas, e eu gosto bastante de romance de época, além de personagens com poderes sobrenaturais hauhaua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha eu achei no tempo que eu lia avon, ela não é recente, sabe? Mas, eu gostei de ler!

      Excluir
  4. Oiie!

    Na época em que li os dois primeiros livros da série, gostei. Eu era bem mais nova e não tinha o senso crítico que tinha hoje. Então não sei o que acharia.

    Adorava as capas e essas fitinhas. Ficavam todos fofinhos na estante hahaha

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahh as capas são lindas mesmo, na verdade eu queria ter toda a coleção, mas não são livros que eu tenha me apaixonado tanto assim pra guardar comigo!

      Excluir
  5. Eu tenho o livro "A Sensitiva" e perfeito amei, repetir ele 3 vezes amo esse livro gosto de histórias assim.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.