Ele disse: "Passa o celular ou eu te mato!"


Pânico, pensamentos passando em segundos na minha cabeça, uma arma apontada pro meu peito e um assaltando falando agressivamente pra eu passar o celular. Vivi exatamente isso semana passada quando voltava da faculdade após passar na casa de uma ex colega para pegar uns mangás (Tarot Café, logo farei uma resenha). Eram 20h20min mais ou menos, normalmente eu chego em casa por volta das 23h com meu pai, mas nesse dia eu troquei a rota por causa dos ônibus lotados que não pararam na parada da faculdade, peguei outro que passava perto, encontrei essa ex colega e fui na casa dela, mesmo estando cansada e precisando de um banho. Conheci sua gatinha bebê, peguei uns mangás e ficamos de trocar outros. 

Ok, super normal, faço isso o tempo todo, voltei pra casa a pé, foi o tempo suficiente para escurecer, a rua estava movimentada por causa da igreja evangélica que tem lá, alguns carros desceram rápido e logo subiram. Eu estava na metade da rua, uma casa de distância da minha quando vi um cara subindo, ele apontou a arma pra mim e começou a falar coisas que eu não entendia, até que ele encostou a arma na minha boca e pediu o celular, eu disse que não tinha (menti), ele me apalpou mas não achou (estava no bolso de trás e o casaco cobriu), então tentou arrancar a bolsa de livros do meu braço e eu só sabia dizer:
"- Moço, eu só tô com livros, olha (abri a sacola) só livros (ele apalpou os livros)."
Dai ele arrancou a mochila das minhas costas, com cadernos, R$250,00 (mais ou menos), apostilas, canetas pra desenho (e aquelas stabilo que eu adoro), bem, calculando assim por cima foram mais ou menos uns mil reais de prejuizo! Sem falar nas maquiagens dentro da bolsa, carregador de celular, pendrive etc. Eu chorei litros, porque pedi pro assaltante deixar meus cadernos com minhas anotações e levar só o dinheiro, mas ele não deixou, poxa, final de semestre, todas as anotações que eu fiz, com os suspiros dos professores, fora outros caderninhos de visitas de campo, tudo isso provavelmente foi pro lixo!

Minha mãe me ligou logo depois e quando falei que fui assaltada ela foi correndo me pegar na rua, PORQUE EU FUI ATRÁS DO CARA PRA VER SE ELE IA DEIXAR A MOCHILA COMO PROMETIDO, MAS ELE MENTIU! (Sim, eu fui bem ingênua achando que ele devolveria!)

Daí, um pouco mais calma eu fui pintar, pintei como me sentia naquele momento, freneticamente.

Uma foto publicada por Muryel Oliveira (@mumuowo) em

Naquele momento eu não queria pensar em mais nada, me sentia impotente, triste porque tudo que eu adquiri com esforço do meu trabalho foi levado assim, de graça. Dormi, dormi chorando pra variar. Acordei cedo, com os olhos inchados, tinha dormido muito mal, foi quando um número estranho me ligou, atendi e era da secretaria do curso de pedagogia da PUCRS, a moça estava me avisando que haviam achado minha carteira com todos os documentos. Fomos fazer o B.O e não foi possível porque "os coitados estavam sem pagamento e só atenderiam em caso de vida/morte/ferimentos graves", sendo que a corrigedoria proibe tais atos, são crimes, devem ser registrados de qualquer forma! 

Enfim, deixei assim, sem B.O por enquanto, fui pra praia espairecer, funcionou, desenhei bastante e li, comi e aprendi uns golpes de KickBoxing (eu deixei meu namorado roxo - fazendo cara de feliz). Daí, ainda sem materiais, carteirinha da PUC e essas coisas eu vim pra faculdade, ainda com medo de sair na rua, minha mãe me leva e me busca na parada mesmo que em horarios de dia. 

Hoje fui no psicólogo de manhã, conversamos sobre isso, ele me deu um abraço bem apertado (querido ❤) e me passou novamente um vídeo do perdão, do Ho'oponopono (vejam aqui), fui pra faculdade assintindo e me senti bem, feliz. Passei a tarde bem, imprimindo coisas que eu precisava e que ficaram na mochila roubada quando recebo uma mensagem no Facebook de uma desconhecida. Eu surtei!


Ok, liguei, a pessoa estava com a minha mochila na delegacia, embora meu caderno não estivesse lá, o que me deixou bem triste, mas, ok, boa parte dos meus materiais e canetas estavam lá. Amanhã pretendo ir buscar e reiniciar a vida com o que restou de mim e das coisas, eu realmente não desejo isso pra ninguém porque foi algo bem traumatizante. Agradeci a todas as pessoas que rezaram para que os objetos aparecessem e ao apoio! 

Enfim, cuidem-se, como diz meu namorado "anda com o mínimo possível na bolsa" e tenta andar acompanhada, viu, isso é para as gurias, eu sei que não dá pra ser assim, mas aqui no Brasil as coisas andam feias em quesito estupro e assalto. Sou muito a favor da liberdade das mulheres, dos direitos iguais mas os assaltantes estão aí e não poupam ninguém, soube até que, se o celular não for bom, eles te espancam! Horrível o estado que chegou a humanidade, acho que haverá uma nova idade medieval em que os homens se matavam ferozmente e eram salve-se quem puder e quem souber!

6 comentários:

  1. Ainda bem que ele não fez nada fisicamente com você e no fim acharam a maioria das suas coisas, mas é uma bosta ser assaltada, e no caso das mulheres, a gente morre de medo de ser estuprada! Dá um sentimento de impotência nessas horas, mas vamos pensar positivo, que a gente, com esforço, pode se refazer honestamente. E que karma existe e tudo que a gente faz no mundo volta ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe, ainda estou superando, mas esse ano de 2016 está muito bosta mesmo!

      Excluir
  2. Muito ruim isso que aconteceu com você. Ainda bem que você conseguiu recuperar um pouco das suas coisas. Mas dá muita raiva quando algum sujeito rouba coisas que custaram tempo e dinheiro.
    Hoje o máximo que eu ando a pé e sozinha é do meu trabalho para o banco, o resto não tenho mais coragem, pois o medo é maior. E eu moro bem no interior de Minas.
    Beijos, Aline
    Verso Aleatório

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, só que não da pra ficar sem andar na rua, a gente tem uma vida toda pra tocar pra frente!

      Excluir
  3. Menina, que barra! No início de 2016 passei por algo parecido e só quem já passou por uma situação como essa sabe como é desesperador! Ainda bem que você saiu ilesa e conseguiu recuperar parte do que foi roubado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, ainda bem, mas eu fiquei bem traumatizada, tenho medo de andar no ônibus ou em lugares sozinha agora!

      Excluir

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.