Resenha: La Belle Personne (A Bela Junie)


Eu sigo a página Insossidade no facebook, e eu adoro tudo ou quase que eles postam. Aí, certo dia eu estava passando na minha linha do tempo e apareceu o vídeo que eu vou colocar a seguir. A música do Joy Division caiu muito bem com o filme, logo eu sai correndo procurando pra download (aqui no Cinema, Sal e Tequila - qualquer coisa eu disponibilizo mais tarde pelo drive). Mais uma vez eu vou dedicar meu amor e devoção a uma atriz francesa, Léa Seydoux, que me fisgou quando assisti Azul é a Cor Mais Quente, logo depois acabei assistindo outros filmes dela como A bela e a fera e Diário de uma criada de quarto.


Segundo o Google:
  

Sinopse: O contexto de uma adolescente que começa a estudar na mesma turma de seu primo após a morte de sua mãe. Ela passa a ser desejada pelos colegas do rapaz, mas descobre uma verdadeira paixão longe dos jovens que a circundam.
Data de lançamento: 1 de janeiro de 2009 (Brasil)
Direção: Christophe Honoré
Música composta por: Alex Beaupain
Autora: Madame de La Fayette
Roteiro: Christophe Honoré, Gilles Taurand
Resenha: 

Junie vira atração da escola nova após se mudar por causa da morte da sua mãe e ir estudar com seu primo. Colegas e professores parecem fazer um "pequeno bullying" com ela. Logo nas primeiras semanas um rapaz do círculo, Otto se apaixona por ela e eles namoram, aquele típico namoro sensual e ao mesmo tempo inocente que existem nos filmes protagonizados por Léa Seydoux.

Só que Otto não consegue entender a mudança repentina da namorada, num dia ela tira a roupa e se mostra para ele e no outro já não sabe mais o que quer, acha que vai embora para evitar alguma coisa da qual ele não sabe. Entre isso, Junie desperta fortes sentimentos em seu professor de italiano Nemours, interpretado por Louis Garrel (lindo).

É uma linda fuga de cão e gato (e rato, no caso de Otto, que caiu na trama de Junie). Dando um mega spoiler, não aguentando mais a dúvida relacionada a namorada, ele pede para um amigo seguir Junie e ele a vê conversando com Nemours, que a segura pelo braço e quase a beija. Após isso, perdido e desnorteado, Otto se joga da sacada que dá para o pátio da escola. Ainda sentindo-se culpada pela morte do namorado/ex(?) Junie faz um mega drama para o professor de italiano apaixonado, que não chega a tocar de fato nela. Então, no dia que eles haviam marcado de se encontrar, Nemours descobre que Junie foi embora.

O filme fala sobre um relacionamento que foi jogado de lado, sobre perdas, tramas de traição, sexo e relações alunos/professores e professores/professores numa escola de ensino médio francesa. Acho interessante como nesses filmes as relações são repletas de sarcasmo, cinismo e sensualidade. Os protagonistas professor/aluna não tiveram de fato uma relação, pelo menos não explícita, mas o filme deixa a dúvida.

Um filme triste, sensual e psicológico sobre como lidamos com os sentimentos das pessoas e como brincamos com o coração alheio. Recomendo, acho que eu ainda verei novamente, e espero comentários de quem assistiu ou de quem gostaria de assistis!

2 comentários:

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.