Resenha: Procura-se um marido - Carina Rissi


Mais uma vez com Carina Rissi e dessa vez eu amei a leitura. Procura-se um marido é um livro engraçado e apaixonante. Me causou boas gargalhadas e o li em menos de 5 dias. Estou resenhando porque amo essa história e porque vou resenhar até quarta Mentira perfeita, que é um spin off justamente de Procura-se um marido, e achei que seria interessante situar quem ainda não leu nenhum dos dois! 

Informações:

(Skoob)
Ano: 2012
Páginas: 476
Editora: Verus
Avaliação: ★★★
Sinopse Skoob: Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império a não ser, é claro, que esteja devidamente casada.
Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel.
Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou.
Cheio de humor, aventura, paixão e emoções intensas, Procura-se um marido vai fisgar você até a última linha.
Resenha:

Alicia, como dito acima, só queria farra, era a amada do seu avô e também o amava muito (adoro como a Carina sempre fala de uma ligação forte com alguém da família). Só que ele morre e o testamente não é nada legal com ela, deixando tudo nas mãos de Clóvis, o curador da herança. No testamento dizia que ela deveria começar do zero na empresa e ir crescendo para entender como ela funciona. Ela também só receberia e herança quando estivesse devidamente casada. Só que em que mundo uma garota como Alicia, 24 anos, encrenqueira, a rainha das farras e dos gastos exagerados que tudo era dado nas mãos (mimada) iria querer casar?

Então ela decide literalmente colocar um anuncio no jornal a procura de um "marido de aluguel". Só que nenhum candidato era aceitável, nenhum menos Maximus (Max), o funcionário da empresa do seu avô que apesar de ser torto de gostoso ela não suporta. Max também precisa de um casamento para poder assumir um cargo importante na empresa.

Com as idas e vindas eles acabam morando juntos, e é nesse momento que casa um começa a ver o outro de verdade. Alicia, aquela menina durona e independente, rebelde e altruísta não sabe se virar numa casa, também tem medo de tempestades. Max é o cara que assume a responsabilidade por tudo e todos, principalmente pelo irmão mais novo, Marcus, que se acidentou com a moto que ele lhe dera e acabou tendo uma lesão que o deixou na cadeira de rodas. 

Durante todo o processo de pegação, sexo, musculosa do Max sendo explorados por Alicia na escrita divina de Carina Rissi, eles se apaixonam, brigam, e todo o vuco vuco acontece. Alicia descobre que Clóvis é um vilão que está sabotando ela para ficar com a herança e presidência da empresa. Nesse momento a personagem principal, destemida e inconsequente se transforma em outra. Uma pessoa responsável, centrada e tudo aquilo que o avô Narciso queria. A garota era boa naquilo que fazia, até em cargos subalternos. E, ainda com a ajuda de Max, seu atual amor e sua melhor amiga, conseguiu descobrir as pistas que estavam sendo lançadas por fatos inesperados e "bizzaros", como o aparecimento de borboletas nos lugares.

E, mais uma vez, a heroína vence e fica com o cara lindo de doer que é caidinho por ela.

Considerações:

Adoro a escrita e as tramas de Carina. Ela traz mulheres reais e mostra como elas são lindas na sua natureza crua. São mulheres com personalidade, temperamento marcante e ideais nada convencionais, mulheres que não buscam necessariamente um verdadeiro amor, as vezes um sexo casual, ou uma chance melhor na carreira, uma saúde melhor para quem elas amam e por aí vai. Contudo elas sempre acabam encontrando o amor e umas confusões pra apimentar a relação!

E seus personagens masculinos são uns deuses, uma pena que não existam tantos na vida real a disposição com as características físicas, embora no quesito personalidade, sim, e conheço alguns. Gosto de reconhecer pessoas nas leituras. Hábitos e vícios que me lembram pessoas conhecidas. Como disse, Carina traz personagens reais para sua escrita. O que me causa aquela depressão pós leitura tão característica de quem entrou na história e viveu, como diriam uns amigos, de forma visceral aquilo que estava sendo contado. Recomendo, vale a pena ler e aguardar pela adaptação para o cinema! Espero não me decepcionar!
Espero também que tenham gostado, até breve

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.