Resenha: Tarot Café (7 volumes)


Estava devendo essa resenha desde o assalto, mas como muitas coisas aconteceram acabei adiando, mas a dona dos mangás precisa deles então eu precisava fazer isso em algum momento. Bem, eu não sei fazer resenhas de uma forma legal, com nomes de personagens e detalhes mais precisos, até porque eu não gravo nomes de personagens, nem de pessoas ou lugares, então vai ser algo mais contadinho do que realmente fatos dos capítulos.

Informações

Mangáka: Sang-Sun Park
Volumes: 7
Ano: 2007-2008
Edição: 1
Editora: Lumus e New Pop
Gênero: Horror, romance, fantasia e drama
Avaliação: :Excelente /: Favorito


**Contém Spoilers **
Tudo começa na Escócia de 1232, a protagonista Pamela ainda é uma criança e vive com sua mãe, ela é tão mística quanto a garota, faz partos e conhece as ervas, porém a mãe sabe ser discreta, e Pamela não, ela vê a maldade nas pessoas, ela tem a visão, como os místicos dizem. Porém ela chama a atenção de somente o cara mais fodástico do inferno, o dono de toda a merda! E ele a quer e vai fazer de tudo para ter aquela humana peculiar.

Já no mundo atual, Pamela é dona de um café que após o expediente normal atende cliente diferentes. Ela tira as cartas e lê seus futuros em troca de contas do colar de Berial, um cara muito fodástico, com essas contas Pamela busca quebrar sua imortalidade e reencontrar sua mãe que foi morta queimada e seu amado Dragão, do qual vem sua imortalidade, quando ele morreu a primeira gota do seu sangue jorrou nela tornando-a imortal. Porém, ela sofre com isso, mais de 800 anos perambulando pelo mundo e fugindo de pessoas que querem matá-la.
A história se desenrola assim, ela contrata um menino que foi transformado em lobisomem, o amigo dela Bellus é um cara muito estranho meio demônio (que no final vocês irão entender quem ele é), ela luta com um rei dragão amigo do amado dela que pensa que foi ela que tramou tudo para sua morte. Atende um vampiro que é modelo, mas ela diz o que ele queria ouvir "que seriam felizes no amor" e depois a menina mata ele, porque na verdade ela era a reencarnação de uma outra moça que ele matou e agora ela busca vingança.
Também conta a história de um alquimista que criava e dava vida a bonecos, mas a obra perfeita dele, a princesa, era má. Então ele a destruiu, deformou seu rosto para que ela se parecesse por fora como era por dentro. Pamela conta que conheceu um sultão (ou marajá, não lembro porque não me pego a detalhes, infelizmente) ela tirou as cartas para ele, ouviu sua triste história de amor por seu ex-escravo e comandante, recebeu sua carta para que entregasse ao seu amado e no final nós descobrimos que ele era um fantasma, ou seja, ela vê gente morta!
Existem ainda histórias mais bonitas, como o do senhor ser da natureza que corta sua árvore (ao qual ele está ligado) em troca de dinheiro para a operação de um menininho que se torna seu amigo, mas que era muito maltratado pelos pais. Ou do rapaz que se apaixonou por uma ninfa do lago que adora queijo! São pequenas histórias interligadas por amor e necessidade de algo que no final somam no saldo positivo de Pamela para vencer o cara ruim fodástico dono da coisa toda lá, o Berial.


Minhas impressões

Além do traço delicado e ao mesmo tempo forte, a história é envolvente, ela te prende primeiramente nas histórias soltas e aos poucos nas ligações e nas memórias do passado da protagonista. Embora não seja uma típica história de amor, pude me apaixonar pelo relacionamento ali presente entre Pamela e Bellus/Berial etc (ele tem muitos nomes). Além de todos os outros relacionamentos presentes em cada capítulo. Achei sim algumas coisas desconexas, mas acredito que esse seja o ponto forte da história, te fazer voltar ao volume anterior, ver se leu certo, cuidar nas datas, porque tempo não é nada para uma imortal! E, falando em datas, não da pra saber exatamente em que época se passa o plano presente do mangá porque ele é meio genérico, as roupas são muito mistas e extravagantes, lembram anos 90/2000, mas pode ser que não seja, já que ao final, mesmo se passando 60 anos os personagens continuam com uma moda peculiar.
Meu comentário final é: eu preciso comprar esses mangás + bem que podia ter um anime né?

Espero que tenham gostado e entendido pelo menos um pouquinho. 

6 comentários:

  1. No começo de 2016 pude ler esses mangás e amei! Desde o lançamento deles, quando eu tinha 14 anos... Queria lê-los e não podia, não tinha dinheiro para comprar a coleção completa, ou não encontrava, ai em 2015 comprei e foi só alegria! História muito bem contada =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, eu acompanhava a New Tokyo e vi quando lançou, eu devia ter uns 13 anos e eu surtava porque eu queria, mas só consegui agora!

      Excluir
    2. Nossa, então acho que temos a mesma idade =)

      Excluir

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.