Quem sou eu?


Pra quem não sabe ainda, estou estudando Pedagogia na PUCRS, e como “exercício” de aula, a professora Síntia Ebert nos pediu para completar o perfil do Modle (pra quem não sabe, é a plataforma digital onde os professores disponibilizam alguns trabalhos e textos), e para isso, passou-nos o texto da Martha Medeiros – Quem sou eu?? e, sem querer ser repetitiva ou copiá-la em seu modo de descrição, pus-me a pensar, e saiu isso, que vem logo a seguir.

Quem sou eu?
Eu sou a brisa de outono, o entardecer, o cheiro de terra e o andar de pés descalços. Eu que sou de peixes, detesto o mar, o protetor solar grudento e salpicado de um misto de sal, micro algas e areia. Ascendente áries e lua em câncer, por fora até pareço a rainha da auto confiança (como disse meu pai esses dias) e provavelmente como as pessoas que não me conhecem acham, cheia de si, mas não sou nada disso. Sou gelatina sentimental denominada coração, mais casa, campo, do que cidade, embora as horas de ônibus façam bem ao meu poeta interior.

Sou mais vegetais, menos carnes, embora comida japonesa me tire da dieta. Sou intolerância a lactose, mas adoro chocolate. Sou meditar e incensos, velas e chás. Sou o silêncio, mas também sou The Killers e Franz Ferdinand, às vezes bate uma melancolia e sou The Cranberries. Sou livros, livros e livros. Sou Netflix quando o dinheiro suporta. Sou suspiros, poesia, Álvares de Azevedo, John Green.

Talvez seja a neblina e a chuva que tanto detesto, pois cobre o sol. Sou a lua e as estrelas, sou a fogueira, o canto dos pássaros e as flores, amor perfeito, tulipas, hortênsias e margaridasSou all-star, nunca salto alto. Sou toda sorrisos, embora às vezes as lágrimas escorram pelos lábios. Sou paz, tranquilidade, mas nem sempre. Sou bolos que faço aos domingos, cinema, mas mais um filme em casa ao lado de quem me faz bem.


Sou amores que nunca vi ou vivi, sou essa mistura de rosto de menina e alma de velha, idade mental entre noventa e menos três. Sou as rimas que faço, as poesias anotadas no caderninho. Sou os dias cansativos a espera de chegar em casa e ser eu e meus bichos. Sou cão. Sou gato temperamental. Sou o protetor solar fator sessenta que sou obrigada a usar. Sou maquiagem e hidratantes. Sou perfumes de flor. Sou esse meu jeito de moleque. Sou viva. Sou humana. Sou os erros que cometi. E, por fim, sou os acertos que me levarão adiante. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.