Adeus Palavras


O que são versos, senão fragmentos de sentimentos
Pedaços perdidos e solitários de uma alma
O que são palavras senão pensamentos incompletos
Pensamentos cheios de ferocidade

A tristeza é a chave para as minhas palavras fluírem
Ela embriaga os sentidos e os deixam mais favoráveis aos versos
Eu temo ser infeliz, porém temo por não escrever
Ah se eu pudesse criar versos com o amor

Os versos de amor são tão cheios de flores
São inevitavelmente lindos
Mas os versos de dor, ah, esses são maravilhosamente conhecidos
Todos os adoram em silencio

Talvez o fracasso esteja eminente
Talvez as guerras voltem à terra quente
As doenças e a desgraça
Temo pelos versos nunca escritos

Sou tão egoísta meu deus
Gostaria apenas que meus versos fossem lidos
Talvez na penumbra da noite
Ou em voz alta pela manhã

Não temo a morte e nem a solidão
Temo a perda de minhas palavras
De meus sentimentos nas pontas dos dedos
Temo por minha mãe e minha irmã

Rezo por meu pai e que ele seja feliz
Ao meu coração, nada peço
Nem mesmo uma gota de misericórdia divina
Que deus guarde suas bênçãos aos justos

Eu já devo muito e carrego comigo muita dor
A dor é aquele ser pequeno que se alimenta das lágrimas
Do amor sofrido e incompreendido
Das palavras ditas e mal compreendidas

Adeus meus versos, vou-me
Vou voar para onde o vento me levar
Flutuando em uma folha de papel azul
Fique com deus e não me esqueça

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.