Apaixonada não! Romântica!


Alguns amigos, depois de ler o primeiro capítulo de A rosa de Miguel, vieram me perguntar se eu estava apaixonada. Não pude conter o riso, foi tão engraçado ver meus amigos contendo a curiosidade e o ciúme.

Primeiramente, vou explicar só uma vez, então prestem atenção. EU SOU ROMANTICA. Simples! Sou apaixonada, romântica, sonhadora, e esperançosa. Acho que o que nos prende na terra são nossa imaginação e nossos sonhos. Não se limitem, sonhem, imaginem. Só cuidado. Existe uma grande diferença de sonhos para ilusões!
E se estou apaixonada, hmm, quem sabe? Se eu mesma não entendo meu coração, quem são os outros para tentarem adivinhar as coisas que estão nele?!

Uma vez eu vi no filme que falava da vida de Jane Austen, ela ainda jovem visitara a casa de uma romancista, o que na época era estranho, mulheres escritoras. Os livros desta mulher eram agitados, cheios de ação, aventura sendo que sua vida era completamente ao contrário! Levava uma vida calma e sossegada.

Jane, pobrezinha, não estava entendendo como uma pessoa pode escrever livros que não tem nada a ver com sua vida. Mas ela explicara que, ela escrevia o contrário, pois, não teve a oportunidade de levar uma vida agitada como a dos seus livros e  isso a preenchia.

Sendo assim, não podendo ficar com seu amado, Jane e a Irmã permaneceram solteiras (a irmã de Jane teve um noivo, mas morreu, acho que de febre em uma viagem, não lembro ao certo), e por isso que em seus livros, Jane falava sobre amores encantadores, que mesmo tendo momentos difíceis, acabavam bem, com o casal unido e alegre.

Ela escreveu o contrário de como sua vida era, e acho que por isso que escrevo normalmente quando me sinto vazia ou triste, e normalmente são coisas de amor, embora às vezes sejam melancólicas.

Não, não estou me sentindo vazia nem nada. Só estou solitária, até um pouco carente de afeto. Dizem que é faze, espero que passe logo!

Obrigada pela atenção e pela forma carinhosa com que me tratam!

3 comentários:

  1. Comigo é diferente, eu costumo escrever quando sinto algo, por exemplo: Se estou triste, escrevo algo relacionada a essa dor, para que assim ela possa se amenizar. No entanto, quando estou alegre, escrevo mais sobre amor.

    Mas achei interessante isso que vc citou de escrever ao contrario do que vivemos. E não se preocupe Mury-san, realmente é apenas uma fase, vc é nova, claro que não sou tão velha, tenho 23, mas tb passei por isso, é uma época onde sentimos mais falta de carinho, mas vai por mim, isso passa, demora um pouquinho, só que com a ajuda de amigos e familia, e tantas outras pessoas que gostam da gente, logo logo esse sentimento evapora.

    Enfim, estarei esperando a continuação de A Rosa de Miguel, pois a estória é fabulosa, vc leva muito jeito para a escrita!

    Bjs

    daimaginacaoaescrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. muito bacana vc realmente escreve muito bem parabens no aguardo de a rosa de miguel pois

    ResponderExcluir
  3. Eu é exatamente como a Sammy...
    Escrevo o que me vai na alma...
    Se estou feliz, algo acontece de bom ás minhas personagens... se estou triste, sou bem capaz de matar imensas pessoas na historia ^^''

    Escrever ao contrario nao sei bem se consigo.. talvez seja porque a realidade para mim nao existe... considero o meu dia-a-dia como um sonho ^^

    kissu~

    ResponderExcluir

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.