Não solte a minha mão...


Não solte minha mão
Ficarei perdida sem você aqui
Sem seu abraço acolhedor
Sem suas mãos para me acalmar
sem seu sorriso para me alegrar

Fale algo... por favor?
O silencio me corta a alma!
Doí mais do que as palavras ditas
E que aquelas perdidas

-Não me deixe... nunca mais...
(Me agarro fortemente nele, debulhando-me em lagrimas)
-Não há sentido na vida... sem você
Não Solte a minha mão

-Não me deixe sozinha e perdida na escuridão!
(Ele me olha de cima, envolvendo seus braços em torno de meu corpo pequeno)
-Sinto muito - ele diz;
Não queria que fosse assim... mas ... acabou

Naquele momento meu chão desabou...
O castelo de cartas caiu,
O copo de cristal quebrou...
Assim como meu coração que se despedaçou...
Ele era tudo para mim... E eu o perdi

O perdi por causa do meu amor...
Me iludi... mas naquele momento
Um pedaço de mim sumiu..
Morreu... se desfez em mil pedaços
Cacos de cristal quebrado!

As vezes me pergunto...
-Será que ele ainda pensa em mim? Ou já se esqueceu?
Não sei ao certo mas, estou me acostumando com a solidão...
A escuridão é acolhedora para quem compartilha do mesmo sentimento
Do mesmo coração quebrado...
Muryel de Oliveira 

Um comentário:

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.